sol

A luz solar é composta por radiações de diferentes comprimentos de onda.

A zona do espectro solar responsável pelo fotoenvelhecimento é a radiação ultravioleta (UV) -é a radiação mais energética emitida pelo sol capaz de atingir a superfície terrestre.

Esta radiação é dividida em:

  • UVA – capaz de induzir o envelhecimento precoce, causa danos mais leves mas crónicos.
  • UVB – causa danos agudos (como queimaduras) e leva à formação de tumores na pele.
  • UVC – radiação mais energética, mas é bloqueada eficazmente pela camada de ozono.

 

A intensidade da radiação UV depende de diversos factores: estação do ano, latitude, altitude, poluição, condições atmosféricas e altura do dia.

O nosso organismo possui um sistema de protecção natural contra a radiação solar.
Ao incidir na pele o sol vai provocar várias alterações: espessamento da camada córnea, indução da sudorese e produção da melanina.
No entanto, estes mecanismos não são totalmente efectivos e torna-se crucial utilizar cremes de protecção solar, para evitar que surjam manifestações como rubor, edema e formação de bolhas.

É importante ressalvar que a agressão do sol é cumulativa e irreversível, capaz de produzir alterações graves, como alterações nas fibras de colagénio e elásticas, perda do tecido adiposo subcutâneo e foto-carcinogénese.

Protecção Solar

Para um composto ser um eficiente filtro solar tem de:

  • Absorver na região UV.
  • Possuir um alto coeficiente molar na faixa de absorção do UV – este coeficiente é a base sobre a qual a efectividade do filtro solar é avaliada.
  • Dissipar a energia absorvida com o mínimo impacto para os tecidos da epiderme e derme, impedindo assim a formação de espécies reactivas.

 

Ao escolher o seu protector solar deve ler com atenção a listagem de ingredientes, evitando os que contenham:

  • Produtos químicos absorventes de raios UV, dióxido titânio ou conservantes sintéticos, parabenos, PABA (ácido paraminobenzóico), benzoatos petroquímicos, SLS (lauril sulfato de sódio), corantes artificiais ou fragrâncias.
  • Vitamina A (palmitato de retinol) e oxibenzona, que podem acelerar melanoma.

 

Factor de Protecção Solar

Os protectores solares são avaliados de acordo com o Factor de Protecção Solar (FPS), que foi instituído com o objectivo de ter um índice para o grau de protecção de dada preparação.
É calculado como sendo a energia UV necessária para produzir uma dose mínima de eritema (DME) sobre uma pele protegida, dividida pela energia UV necessária para produzir uma DME numa pele não protegida.

Os filtros solares exercem o seu efeito de protecção na pele através de acção física ou química.

Filtros de efeito físico

Protegem devido à sua deposição sobre a pele, reflectindo e/ou dispersando a radiação incidente. O inconveniente destes filtros é a parte inestética, uma vez que se depositam na pele criando um visual branco opaco, difícil de disfarçar.
Para crianças e pessoas com alergia ou sensibilidade ao sol, opte por estas fórmulas com filtros minerais.

Filtros de efeito químico

São compostos aromáticos conjugados com um grupo carboxílico; isto significa que têm a capacidade de absorver comprimentos de onda curtos, mais energéticos, convertendo a energia resultante em radiações de baixa energia.

 

Regras a seguir

  • Escolha uma embalagem que permita uma aplicação prática e uma textura fácil de espalhar de forma a garantir uma proteção efetiva e uniforme.
  • Aplique o protector solar meia hora antes da exposição ao sol, para permitir que este seja absorvido pela pele.
  • Reaplique o protector solar de 2 em 2 horas, ou sempre que for à água – mesmo que a fórmula indique ser resistente à água, uma vez que nenhum filtro solar resiste após dez minutos de imersão.
  • Em dias de sol, aplique sempre protector nas zonas do corpo expostas, mesmo que não vá para a praia.
  • O protetor solar deve adaptar-se ao seu tipo de pele.
  • Independentemente do seu tom de pele, o FPS mínimo que deve usar é o 30.
  • Se a sua pele é clara utilize o FPS máximo, 50+.
  • Não aplique perfumes e desodorizantes antes de se expor ao sol: podem originar manchas ou uma reação alérgica.
  • Guarde o seu protector solar à sombra.
  • Verifique o prazo de validade – o número no pictograma na embalagem indica durante quanto tempo o produto se mantém ativo após ser aberto (normalmente entre 9 e 12 meses). Não use o protetor solar que sobrou do ano passado, pois o risco de estar a aplicar um filtro solar que já perdeu a eficácia, sem que isso cause alterações visíveis no produto, é elevado.

 

Escolha formulações que contenham nos ingredientes:

  • Provitamina B5 – previne a desidratação e estimula a pigmentação da pele durante a exposição solar; tem propriedades calmantes e anti-inflamatórias.
  • Vitamina E – combate os radicais livres, prevenindo o envelhecimento precoce da pele causado pela exposição solar.

 

Protecção das crianças

Os bebés com menos de 1 ano não devem ser expostos diretamente ao sol.

A exposição solar de crianças a partir dos 2-3 anos deve ser limitada a um período restrito, apenas ao início da manhã e ao final da tarde, mas sempre com protetor solar físico (chapéu e roupa) e um creme com factor de protecção solar (FPS) 50+.

As crianças com mais de 3 anos devem usar os protetores mais comuns, com compostos químicos, mas com o mínimo de filtros possível.

  • Proteger a pele das crianças implica ainda:
  • Uso de vestuário adequado – opte por peças de roupa frescas, largas e feitas com fibras naturais (100% algodão biológico)
  • Uso de chapéus ou bonés e óculos escuros
  • Uso de guarda-sol para criar uma zona de sombra para as crianças se poderem sentar e brincar resguardadas.

Cuidados pós-sol

Depois da exposição solar a pele necessita de cuidados extra para se manter saudável.
É crucial aplicar um after sun, para regenerar, reidratar e preparar a pele para mais um dia de praia.
Os cremes ou loções com aloé vera, regeneram e refrescam a pele sensibilizada, ajudando também a criar um bronzeado bonito e duradouro.

[voltar]