A Medicina Integrada estuda o indivíduo a partir de uma perspetiva global, sem se separar da medicina ocidental. Mas, a sua base científica estabelece-se no sistema imunitário, isto é, a Medicina Integrada trata o corpo humano como um todo, tendo em conta a relação entre todos os órgãos e as diferentes zonas do organismo.

A Medicina Integrada tem duas vertentes: a prevenção e o tratamento de patologias.
O que se pretende é estimular as forças curativas do organismo, para que tudo volte a funcionar de forma adequada. É necessário reeducar os hábitos dos pacientes e eliminar tudo aquilo que possa alterar o equilíbrio interno, como por exemplo alimentos e substâncias alérgicas, metais pesados, fontes de desequilíbrio eletromagnético ou problemas odontológicos.

Em resumo, a Medicina Integrada procura manter em perfeito estado as funções vitais do indivíduo através de técnicas de prevenção e/ou à deteção de doenças incipientes.

É, por isto, a melhor maneira de se manter saudável, de uma maneira holística, global e o mais bio-compatível possível.